Assinatura RSS

Arquivo da tag: Anthony Hopkins

Hitchcock

Publicado em

hitchcock_2

O longa conta uma parte da história do mestre, Hitchcock, num momento em que ele busca inspiração para um filme novo, que fosse surpreendente , diferente dos outros que já havia feito. Mas depois de tantos filmes, entre grandes sucessos e fracassos, as pessoas meio que desacreditam de seu potencial  e o criticam dizendo que ele perdeu a forma e que “Psicose” não daria em nada. Sendo assim ele mesmo financia seu próprio filme, além disso é possível conhecer um pouco mais de sua personalidade, sua relação com si próprio e as pessoas do seu convívio, principalmente com sua esposa.

Coisa difícil no cinema é adaptar biografias para as telonas, mais difícil ainda, acha um ator que faça juz à celebridade, ainda mais se falando de Hitchcock, e Psicose, seu melhor filme. Vamos começar falando dos pontos negativos, que são poucos e em nada comprometem o filme, (na verdade são picuinhas minhas); pra começar senti falta de uma abertura mais emocionante ou impactante dos tipos que Saul Bass  fez para alguns filmes de Hitch, dentre eles o próprio Psicose, Vertigo, Intriga Internacional . Mas acho que na verdade senti falta mesmo, foi da figura de Saul Bass no filme, que inegavelmente teve participação na produção de storyboards de Psycose,  há quem diga que a Cena do chuveiro foi dirigida por ele… Mas isso é história pra outro post…

Veja a abertura original de Psicose:  

Voltando ao que de fato interessa, o filme mostra os bastidores de Psicose, como Alfred chegou ao tema, o por que da escolha, como foi a produção  e todo seu sucesso na estréia… Sucesso mesmo foi a escolha dos atores. Anthony Hopkins  como sempre dá um show, a maquiagem e a caracterização ficaram muito boas, as expressões faciais, o modo de falar os trejeitos e poses são muito semelhantes ao original.  Scarlett Johansson maravilhosa como sempre, linda e fantástica;  Helen Mirren também não fica para trás, é ela quem interpreta a esposa de Hitch, que apesar de algumas crises no relacionamento, está sempre ao seu lado em todos os momentos.

O filme em sí é bem amarrado os diálogos são convincentes assim como os cenários, figurinos e maquiagem, que por sua vez foi indicada ao Oscar esse ano. Como foi dito anteriormente é possível conhecer um pouco da vida e também da mente Hitchcok, seus devaneios, desejos, vontades e pertubações. Pra quem não conhece os filmes de Hitchocok, vai perder algumas referências, as quais são um prato cheio para quem os conhece, outra coisa interessante é o modo comoAlfred conversa com, os personagens de suas histórias e também conosco, como se fossemos melhores amigos dele.

 Veja o trailer e algumas fotos 


Anúncios

Thor

Publicado em

Acho dispensável uma sinopse longa, creio que a maioria das pessoas já ouviu falar sobre o deus do trovão, e grande parte delas esperava ansiosamente a estréia de mais uma adaptação dos quadrinhos para as telonas.

Mas para os menos nerds…

Thor (Chris Hemsworth) é um guerreiro arrogante e intempestivo, natural do reino de Asgard e veio para a terra como um exilado, pois suas atitudes levaram seu reino a romper a trégua com os Gigantes de Gelo provocando uma nova guerra; para piorar o castigo Thor perde grande parte de sua força, passa a ser praticamente um mortal comum. Nesse exílio ele conhece algumas pessoas que o ajudam, Jane Foster (Natalie Portman) e seus colaboradores, Dr. Erik Selvig (Stellan Skarsgård) e a estudante Darcy Lewis (Kat Dennings), que são estudiosos que investigam fenômenos atmosféricos. A terra, então, é invadida por forças negativas enviadas por seu meio irmão Loki (Tom Hiddleston). Nesse momento ele aprende a lição e entende o que significa ser um Herói de verdade.

Thor é filho de Odin (Anthony Hopkins), o rei de Asgard, diga-se se passagem, o veterano como sempre arrasa em suas atuações. Nosso protagonista Chris Hemsworth também foi uma escolha acertada, mas assim como Portmam é uma graça, mas nem de longe as melhores cenas são dos dois.  Colm Feore como o Rei Laufy, líder dos gigantes do gelo, também é um vilão convincente.

O visual do filme é bem legal, o design da cidade, cores, iluminação, figurinos, efeitos visuais são de encher os olhos, já o 3D não acrescenta grandes coisas à narrativa.

Se tratando de adaptação dos quadrinhos não posso dizer que é a melhor que já vi, mas também não é a pior…

De qualquer forma é um filme obrigatório aos fãs.

%d blogueiros gostam disto: